Mulheres religiosas apresentam maior satisfação com suas vidas sexuais, diz pesquisa

Um estudo realizado em 2019 revelou que mulheres religiosas tendem a serem mais satisfeitas com suas vidas sexuais. Os resultados do estudo, publicados na revista científica Sexuality & Culture, sugerem que a fé tem um papel importante no bem-estar sexual das mulheres.

Os pesquisadores analisaram as experiências sexuais de mil mulheres. Elas foram divididas em três grupos de acordo com a prática de sua religião: religiosas, não-religiosas e aquelas que não tinham certeza.

Os resultados indicam que as mulheres religiosas apresentaram maior satisfação com seu bem-estar sexual, em comparação às mulheres não-religiosas. As mulheres com maior satisfação relataram maior desejo sexual, maior satisfação com seus relacionamentos e maior interesse em experiências sexuais.

A pesquisa foi feita pela a Universidade de Exeter, na Inglaterra e o coautor é Vegard Skirbekk. Os autores do estudo acreditam que os resultados mostram que a fé desempenha um papel importante na vida sexual das mulheres. Eles argumentam que a religião pode fornecer um ambiente de aceitação e consolo, permitindo que as mulheres se sintam mais confortáveis com sua sexualidade.

Além disso, alguns aspectos da fé também podem contribuir para a satisfação sexual das mulheres. Por exemplo, a crença de que o sexo é um ato sagrado pode aumentar a satisfação sexual das mulheres.

No entanto, os autores do estudo afirmam que os resultados são apenas uma indicação de que a religião pode desempenhar um papel importante na vida sexual das mulheres. Eles aconselham que mais pesquisas sejam realizadas para entender melhor como a fé pode influenciar a vida sexual das mulheres.

Portanto, os resultados deste estudo sugerem que, para muitas mulheres, a religião pode ser uma importante fonte de satisfação sexual. Isso pode significar que a fé desempenha um papel importante no bem-estar sexual das mulheres e, por isso, deve ser considerada na abordagem de questões relacionadas à saúde sexual.

Deixe um comentário